Não encare como sendo algo do tipo “os 10 mandamentos”. Mas dicas e sugestões aqui neste blog são de graça e é exatamente por isso que você vai ler este artigo!

1) Entre de cabeça em OOP

Se você é um programador PHP e ainda não adentrou no universo da programação orientada a objetos (OOP – Object Oriented Programming), então você está em desvantagem e ficando pra trás muito rápido.

OOP é uma forma de programação essencial que utiliza classes, ou Objetos, que “amarram” coisas, por assim dizer, e removem a necessidade de repetição de códigos de forma muito simples. Objetos nada mais são do que classes que contém um monte de funções dentro delas, e você pode replicá-los e utiliza-los várias e várias vezes sem a necessidade de reescrever suas funcionalidades sempre que precisar fazer algo.

OOP é rápido, simples, fácil de debugar, utiliza menos recursos do servidor, menos código, carrega mais rápido e mais lógico de se trabalhar quando você aprende os princípios básicos da coisa. Entre de cabeça em programação PHP orientada a objetos. Faça isso. Agora. Sério.

2) Fique longe de tudo que termine com _once()

Todos sabemos que a função nativa do PHP include() simplesmente nos retorna um aviso se ela falhar, enquanto require() interrompe o script com um erro fatal quando ele falha. O que não podemos esquecer, no entanto, é que include_once() arrebenta os recursos do servidor. Não há nada que possamos fazer quanto a isso. É como o PHP foi feito. Apenas se lembre que estas funções com _once() vão destruir os recursos do servidor, especialmente em um grande framework.

Se você planejar bem seu código você não vai precisar deles.

3) Mantenha o Error Reporting ligado

A primeira coisa que você deve fazer quando começar um novo projeto em PHP é ligar o error_reporting para E_ALL, e você só deve desliga-lo 10 segundos antes da aplicação entrar em modo produção. Eu faço isso em todo projeto e não há nada melhor do que rodar um projeto em produção e não observar um único erro. Além disso, com error_reporting on você consegue visualizar até mesmo erros pequenos, que irão eventualmente crescer ao ponto de começar a afetar invariavelmente a saúde do seu pâncreas.

4) Utilize um Framework se você precisar de um

Ok, Rasmus Lerdorf (criador do PHP) diz que você não deveria usar um framework porque ele pode provar conclusivamente que um framework é muito mais lento do que código PHP puro, quando se trata de imprimir um simples “Olá Mundo” na tela. Duas coisas tenho a dizer sobre isso: você não é Rasmus Lerdorf e eu dúvido que você precisa criar uma aplicação “Olá Mundo” toda vez que programa alguma coisa. Frameworks te livram das coisas chatas e tediosas que um programador precisa fazer em todo projeto, embora você tenha que estudar e aprender como determinado framework funcione, mas realmente essa é a única desvantagem de se usar um. E convenhamos, você terá muito menos chances de escrever código ruim e que não funciona uma vez que a maior parte deles já foi escrita pra você.

5) Use e abuse das funções nativas do PHP

Você quer saber quantos índices possui um array? Você poderia rodar um loop neste array e simplesmente incrementar um contador para cada iteração, certo? Não! Pra que ter esse trabalho se você pode simplesmente utilizar a função count(), que faz tudo isso? O PHP possui centenas de funções nativas extremamente úteis.

Sempre que você precisar criar uma função maluca, consulte o manual do PHP antes de qualquer coisa. Aí vai o link: http://php.net

Talvez você encontre algo que já faça isso, ou pelo menos boa parte do que você precisa.

6) Proteja seu banco de dados

A melhor forma e mais segura é utilizar a função mysql_real_escape_string() em TODAS as querys da sua aplicação, seja insert, delete ou update. Essa função mantém as strings das queries seguras em termos de uso de aspas e outras funções que podem prejudicar seu banco de dados, além de evitar a inserção de códigos maliciosos, a famosa técnica hacker SQL Injection.

Algumas outras dicas:  validar todas as strings POST e GET, nunca utilizar $_REQUEST e se certificar de que todos os dados enviados por um formulário são do tipo correto antes de inserir num banco de dados.

7) Use POST e não GET

Ok, nem sempre isso vai ser possível, mas quando realmente não for necessário, não utilize GET, use POST. A razão é simples – GET é fácil de ser hackeado – tudo que preciso é adicionar algo na barra do meu navegador para hackear seu sistema. Obviamente GET é a forma mais fácil de se criar paginações e links permanentes, mas especialmente quando for utilizar envio de dados de um formulário, fique com POST, é mais seguro.

8) Desenhe antes de programar

Uma boa prática é desenhar as telas de sua aplicação, mesmo que seja apenas alguns rabiscos ridículos num pedaço de papel. É muito importante materializar a mecânica da sua aplicação antes de sentar e começar a escrever códigos, porque na fase de planejamento você vai conseguir prever uma série de dificuldades que poderá encontrar e assim evitará muitas dores de cabeça que surgem quando você descobre que tudo o que fez até agora ou está errado, ou é desnecessário, ou é simplesmente estúpido.

9) Entenda seu projeto

Um artista não consegue desenhar algo que ele ainda não tenha visto, mesmo que seja uma apenas visão em sua mente. Um cantor não pode cantar uma música que ele nunca ouviu antes.

Você não pode programar um sistema que não entende plenamente. Se você não entender exatamente o que precisa fazer, e como fazer, você não vai conseguir desenvolver nada.

10) Escreva códigos, códigos e mais códigos

Se eu preciso que algo realmente fique gravado na sua cabeça, é isso. Você não pode se tornar um bom programador PHP apenas lendo. Nem por assistir outra pessoa programar.  O único método testado e confiável é escrever códigos. Mas – e esse é o segredo – desenvolva coisas reais! Não programe algo que você não tem interesse ou que nunca vai usar. Desenvolva o que você goste, e você vai se empolgar e ficar ainda mais interessado, e principalmente, vai aprender.  Depois que desenvolver, construa mais coisas em cima dele, e o deixe ainda melhor.

Fabio Ferreira on EmailFabio Ferreira on InstagramFabio Ferreira on Twitter
Fabio Ferreira

Desenvolvedor Javascript e PHP, é editor do blog Café na Veia e também atua como desenvolvedor web freelancer na cidade de São Paulo.


Author: Fabio Ferreira

Desenvolvedor Javascript e PHP, é editor do blog Café na Veia e também atua como desenvolvedor web freelancer na cidade de São Paulo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Instagram did not return any images.

Siga também nosso Instagram!